Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Patrícia Müller e João Leal falam sobre os seus livros, minutos antes do lançamento de Terra Fresca, do João, apresentado por Samuel Úria. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Amanhã começa a Feira do Livro de Lisboa. 

A Quetzal está do lado direito de quem sobe o Parque Eduardo VII, no Espaço do Grupo Porto Editora. Às 16h00, a Patrícia Müller está presente para autógrafos e encontro com os leitores de Uma Senhora Nunca (os que leram e os que ainda vão ler. Às 17h00, José Eduardo Agualusa senta-se para assinar os seus livros e os nossos são têm belas capas.  Às 18h30 João Leal convidou Samuel Úria para apresentar o seu novo Terra Fresca, romance. 

Na página de Facebook da Quetzal Editores vamos dando conta dos livros do dia. É espreitarem aqui. Sempre que possível, faremos também disso eco no blogue. 

Marquem na agenda o sábado, 11. No último sábado da Feira do Livro, voltamos a convidar autores, leitores e tradutores para um cocktail. 

 

 

feiradolivro_20160512.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terra Fresca

25.05.16

Passado em Sintra, Lisboa, Finlândia e Estados Unidos, um romance sobre o papel de cada um no destino
e decisões dos outros. 

Cinco anos depois de Alçapão, João Leal regressa à publicação e traz a lume Terra Fresca, um romance que parte das vésperas da Segunda Guerra Mundial e ecoa setenta anos depois, nas gerações seguintes, ligando personagens por um misterioso destino.

Terra Fresca.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicamos

25.05.16

convite_terra_Fresca_feira_livro.jpg

Um novo romance de João Leal. 
Chega às livrarias na sexta-feira e é amanhã apresentado na Feira do Livro de Lisboa, pelo Samul Úria, às 18h30, no Espaço do Grupo Porto Editora. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Na Blogosfera

13.07.11

Crítica a Alçapão no blog Bela Lugosi is Dead: aqui.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"A primeira coisa que se pode dizer sobre o primeiro romance de João Leal, 38 anos, é que é um pequeno extraterrestre nas livrarias portuguesas. O próprio autor, livreiro com uma longa experiência – esteve na Barata, na Fnac do Chiado e hoje está ligado à livraria Bertrand – o admite: “Quis arriscar num género que não há praticamente em Portugal: um thriller que é também fantástico e que junta a história mais clássica de um órfão e de uma série de assassinatos a uma ficção mais especulativa, num tempo remoto.”

 

 Foto: Joana Freitas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"1. Não há nenhum livro no mercado português remotamente parecido com este.
2. Num momento “Alçapão” é um policial sinistro, no outro é uma fábula fantástica.
3. A escrita é ritmada, poupada, magra. O texto trabalha a favor da história e não o contrário.
4. Apesar da acção ser muitas vezes violenta e a linguagem desabrida (é uma história de órfãos, caramba) João Leal escreve de uma maneira quase inocente. Há uma dinâmica próxima da literatura juvenil, como se estivéssemos perante “Uma Aventura no Fim da Inocência”.
5. É uma história acerca da amizade. De uma amizade feita também de silêncios e equívocos mas que procura leal e constante.
6. É um livro que não quer morder os calcanhares à alegria só porque isso é popular. A alegria não é exuberante e na maior parte das vezes anda escondida mas irrompe sem vergonhas no final. Não estamos perante um produto do cinismo e por isso não se criminaliza o triunfo.
7. “Alçapão” é um delírio. É um devaneio que desafia muitas convenções de narrativa, é propositado no seu desequilíbrio, brioso do seu compromisso com a história extraordinária que conta. Tenta manter a ética na digressão que sugere. É uma história tão impossível que só pode ter um fundo de verdade."

 

Tiago de Oliveira Cavaco apresentou o livro e enumera sete razões para ler Alçapão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Convite

07.06.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alçapão

31.05.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

A 3 de Junho nas livrarias

Autoria e outros dados (tags, etc)


QUETZAL. Ave da América Central, que morre quando privada de liberdade; raiz da palavra Quetzalcoatl (serpente emplumada), divindade tolteca, cuja alma teria subido ao céu sob a forma de Estrela da Manhã.

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Sites e blogues de autores

  •  
  • Sobre livros

  •  
  • Editoras do Grupo BertrandCírculo

  •  
  • Comprar livros online

  •  
  • Festivais Literários

  •  
  • Sobre livros (imprensa portuguesa)

  •  
  • Sobre livros (internacional)

  •  
  •  

  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D