Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quetzal

Na companhia dos livros. O blog da Quetzal Editores.

Entrevista ao vivo na série Writers in Conversation, na Universidade de Southampton – sobre A Praia de Manhattan, que a Quetzal publica nesta sexta-feira, 14 de setembro. 

Veja também, aqui, Jennifer Egan entrevistada por Christianne Amanpour na CNN quando A Praia de Manhattan foi escolhido como leitura do New York’s City Book Club.

Leia o que o The Guardian escreve sobre o novo livro de Jennifer EganA Praia de Manhattan, que a Quetzal publica a 14 de setembro: «Remarkable cinematic scope.»

Leia ainda as críticas do The Irish Times («complex characters and sentences so luminous...»), do Chicago Tribune e do The Boston Globe.

 

Jennifer Egan na Quetzal: O Circo Invisível (2014), A Visita do Brutamontes (2012, Prémio Pulitzer).

«O Circo Invisível é um romance iniciático. Ainda se lembra do que queria explorar quando o escreveu?

 

Em O Circo Invisível estava interessada no impacto que os meios de comunicação de massas tiveram sobre a contracultura e sobre o desejo pela transcendência. E como isso influenciou os americanos nesse período. O interesse nos media, na cultura da imagem e nos seus efeitos nas nossas vidas está sempre presente no meu trabalho. E estão lá outros temas. Sempre me fascinou o modo como as pessoas imaginam uma versão ideal delas próprias e arranjam outra pessoa onde possam representar essa imagem. E sempre me interessei pela nostalgia, sobretudo pela nostalgia pelo que não vivemos. Interessam-me os anos 60, que não vivi por ser demasiado nova, e o impacto que tiveram na cultura americana. É neste meu primeiro livro que está a origem de muitas coisas que continuei a explorar.

 

Ainda tem orgulho nele?

 

Não o leio há muito, não sei o que pensaria dele hoje. Mas penso que me sentiria orgulhosa, embora não o fosse escrever agora. Sou perfeccionista, trabalhei nele muitos anos. Durante dois anos escrevi uma primeira tentativa desastrosa, depois esta levou-me três anos. Confio nos padrões elevados do meu eu da altura. Era o melhor que podia fazer.»

 

Excerto da entrevista que Jennifer Egan concedeu a Rita Silva Freire, do jornal Sol.

 

«É nesse percurso que não há nenhum momento em que o leitor queira perder a ponta do novelo que se vai desenrolando a caminho do resgate de uma identidade. Mesmo quando alguns truques narrativos expõem demasiado a natureza de primeiro livro – ninguém precisa que uma personagem se espreguice para se explicar como está vestida – ou na fase em que uma explosão sexual se aproxima perigosamente daquilo que se convencionou chamar de literatura de pendor feminino.»

 

Catarina Homem Marques, Time Out

 

«Quando Jennifer Egan captou o interesse mediático e viu os seus esforços recompensados com a publicação do romance A Visita do Brutamontes [Quetzal, 2012]- Prémio Pulitzer e National Book Critics Circle Award em 2011 - , já tinha anteriormente ensaiado, neste seu primeiro romance, O Circo Invisível (1995), uma visita saudosista e bastante menos cínica aos movimentos da contracultura dos anos 1960/70.»

 

Helena Vasconcelos, Ípsilon

 

"O mais espantoso nesta ficção, algures entre o romance de estrutura heterodoxa e a coletânea de contos que funcionam como unidades autónomas, é que Egan nunca perde o sentido do tema que atravessa todas as suas histórias dispersas: o tempo enquanto agente de mudança que tanto pode maltratar-nos (é ele o "brutamontes" do título) como redimir-nos, às vezes inesperadamente. O livro termina numa Nova Iorque futura, na década de 2020, com um concerto junto ao "Ground Zero" reconstruído. A música que fica a pairar, porém, não é a da slide guitar de Scotty, a improvável estrela "inventada" por Bennie, mas antes o "zumbido" da cidade, mistura de taipais a serem corridos, cães a ladrar "roucamente" e camiões a passar sobre as pontes, que é o "som do tempo a passar."

 

José Mário Silva, Atual, dá cinco estrelas ao livro de Jennifer Egan, A Visita do Brutamontes. Na mesma edição do suplemento do Expresso pode ler-se a entrevista com a autora norte-americana.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D