Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

José Riço Direitinho assina hoje no Ípsilon um texto sobre E Então Vai Entender, de Claudio Magris

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escudo

05.11.09

«As ruas, por exemplo, são parecidas, quase iguais. Escuras de gente que caminha, se toca, se choca e se olha de viés e suspeitosa, desaparece no meio das casas e nos corredores, um rio que corre por entre meandros e curvas, que engrossa ou se aperta entre as margens, embora as margens não se vejam, não existam. A água brilha por um instante à luz, desaparece na sombra; uma nuvem, o tecto baixa, a maré escura cai-te em cima, arrasta-te mas não te magoa, a água é macia como a névoa, até a multidão que te aperta é macia, corpos de tenra lama que se te derretem nas mãos e se desvanecem antes que tu os abraces. A corrente é rápida, as árvores baixam as copas e os ramos por cima da água raspam-te a cara, mas é só uma leve carícia de folhas que logo se dissolve; uma cara passa-te ao lado e sorri incerta e já desapareceu naquele maleável amontoado, como uma figura de fumo. O coração aperta-se. Meu amor, faz-me de escudo...»

 


Nas livrarias a 6 de Novembro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

O catálogo da Quetzal observado nesta fotografia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Neste monólogo narrativo sobre um amor total e falhado, uma mulher fala-nos a partir de uma obscuridade misteriosa - a partir da morte? - e revela-nos, num tom terno e impiedoso, que contém toda a grandeza e mesquinhez da vida e da morte, as alegrias e misérias da paixão pelo homem que ela ama mas que renuncia seguir de volta à vida.

 

Em E Então Vai Entender, Claudio Magris move-se entre a experiência pessoal e o mito; entre a vontade de fuga e a intensidade da permanência; entre ligeireza e tragédia.

 

Numa escrita límpida e de grande musicalidade, E Então Vai Entender dá voz a uma extraordinária figura de mulher, uma Euríce moderna, vítima e prevaricadora, numa desencantada e tocante homenagem à feminilidade.

 

E Então Vai Entender, de Claudio Magris 

serpente emplumada | Claudio Magris

Tradução de José Colaço Barreiros

72 páginas


Nas livrarias a 6 de Novembro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Nas livrarias a 6 de Novembro.

Autoria e outros dados (tags, etc)


QUETZAL. Ave da América Central, que morre quando privada de liberdade; raiz da palavra Quetzalcoatl (serpente emplumada), divindade tolteca, cuja alma teria subido ao céu sob a forma de Estrela da Manhã.

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Sites e blogues de autores

  •  
  • Sobre livros

  •  
  • Editoras do Grupo BertrandCírculo

  •  
  • Comprar livros online

  •  
  • Festivais Literários

  •  
  • Sobre livros (imprensa portuguesa)

  •  
  • Sobre livros (internacional)

  •  
  •  

  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D