Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


 

 

 

 

Nas Livrarias Bertrand há promoções. Oferta de Somos o Esquecimento que Seremos, de Hector Abad Faciolince  (PVP 19.95) a quem comprar 2666 de Roberto Bolaño, beneficiando ainda de 10% de desconto. Dois grandes autores, dois grandes livros.

 

E ainda.... e ainda oferta de um livro em 50 euros em compras. No site das Livrarias Bertrand está disponível a lista de títulos para oferta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um primeiro romance sobre a certeza da morte.

 Uma colecçao de frases insólitas.

A revelação de fios secretos que ligaram poder politico e o poder económico.

 Um conto infantil de um autor existencialista português.

 

 

Chegam hoje às livrarias:

 

 

Todas as Viúvas de Lisboa, de Alexandre Borges

 

 

Trinta Anos de Mau Futebol, de João Pombeiro

 

 

Salazar e os Milionários, de Pedro Jorge Castro

 

 

A Estrela, de Vergílio Ferreira

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Ao assistir, à distância, a um funeral, um homem é assaltado por uma estranha sensação de déjà vu: já teria estado naquele mesmo cemitério, rodeado daquelas pessoas, a enterrar aquele mesmo homem? Enquanto tenta perceber como ali chegou, reconstitui os últimos dias da sua vida, recordado a descoberta de três mulheres viúvas de um só homem, numa cidade cheia de fantasmas e gritos de alerta. Todas as Viúvas de Lisboa é um romance sobre o acaso, a identidade e o confronto com a certeza da morte.

 

Todas as Viúvas de Lisboa, de Alexandre Borges | série língua comum

 

 

O livro será apresentado por Pedro Marques Lopes e Nuno Costa Santos, em Lisboa,

no Frágil, dia 10 de Dezembro, pelas 22h00. Depois, haverá música, festa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Guionista e jornalista, natural de Angra do Heroísmo, Alexandre Borges integrou as equipas responsáveis por produtos televisivos como Equador, Grandes Livros ou Zapping, entre outros. Foi editor de A Capital e faz, actualmente, crítica de cinema no i. Publicou Dez Histórias de Amor Em Portugal, Histórias Secretas De Reis Portugueses (narrativa) e Heartbreak Hotel (poesia).

 

Tirou o curso de Filosofia, a carta de condução e o baço. Nunca fez nada de especial com nenhum deles.

 

Escreve no blogue noite americana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Especial Salazar

26.11.09

No site da revista Sábado, um especial sobre o ditador português que deixou dos mais interessantes espólios da história (nas palavras de António Costa Pinto, na apresentação do livro Salazar e os Milionários, ontem, na Fnac Vasco da Gama). 

 

A revista disponibiliza além dos primeiros capítulos da obra de Pedro Jorge Castro, um dossiê sobre as ligações secretas de Salazar, com documentos inéditos do antigo presidente do Conselho, os vídeos de alguns dos principais discursos e o funeral de Salazar e uma fotogaleria da vida de Salazar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Durante o Estado Novo, quando os milionários portugueses precisavam de um favor político sentavam-se à secretária e escreviam a um homem pobre, de origem rural, mas que durante dezenas de anos concentrou em Portugal todo o poder político. Com base em cartas, relatórios e documentos, a maior parte inéditos, este livro desenha a surpreendente teia de ligações entre Salazar e as famílias mais ricas de Portugal: os encontros de domingo à noite com Ricardo Espírito Santo, a proximidade com os Mello, os pedidos de Champalimaud ou a aproximação de Cupertino de Miranda no final do regime. Aqui se revela também a relação pessoal que o ditador mantinha com o dinheiro, a sua intervenção nas guerras do petróleo e no comércio dos diamantes de Angolam, e as enormes facilidades concedidas aos empresários que, a pedido do próprio governante, fundaram o Hotel Ritz. Uma história recheada de episódios de veneração, discordâncias velads – e intensas manobras de bastidores.

 

Salazar e os Milionários, de Pedro J. Castro, é apresentado hoje às 18h30 na Fnac Vasco da Gam, por António Costa Pinto e Rui Ramos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pedro Jorge Castro tem trinta e quatro anos e doze de jornalismo. Natural de Leiria, licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade Autónoma de Lisboa. Trabalhou nos jornais A Capital, Portugal Diário, e 24 Horas, onde foi director-adjunto. É, desde Abril de 2007, o redactor principal da revista Sábado. Salazar e os Milionários é o seu primeiro livro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alice

23.11.09

 

O vento empurrou a neve contra o que tinha sido uma janela e estava agora tapado com metade da porta de um arquivo de documentos e folhas de jornal que não conseguiam vedar completamente o ar frio. Por isso, a temperatura na casa da Alice nunca subia muito acima dos zero graus.


Neste momento, neste preciso momento, aperta ela um pouco mais o papel desbotado na frincha da janela. As letras impressas não passam de uma vaga ilusão que pouco ou nada significa. Treme, sem dar conta, Alice. Passou a ser um estado natural  ter um corpo que não consegue permanecer quieto. Aperta um pouco mais o fecho éclair do casaco de malha azul e puxa mais para baixo as luvas sem dedos.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

É hoje

23.11.09

É daqui a nada. Helena Vasconcelos, leitora, autora, encantadora de leitores, guia-nos pel'O Mundo Branco do Rapaz-Coelho, onde também há uma Alice.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem é o Max?

20.11.09

 

 

Max é um rapaz que está a crescer e a entrar num mundo que não consegue controlar. O pai foi-se embora; a mãe passa cada vez mais tempo com o namorado; e a irmã está a chegar à adolescência. Ele, por seu turno, refugia-se no interior do seu fato de lobo e entrega-se aos acessos de braveza de que é frequentemente acometido. Um dia, fugindo de uma discussão em casa, encontra um barco e, navegando nele, descobre uma ilha habitada por criaturas selvagens e monstruosas, de quem se tornará rei.

 

Antes da estreia do filme de Spike Jonze O Sítio das Coisas Selvagens nas salas de cinema portuguesas, a Quetzal publica o romance homónimo de Dave Eggers, um livro para todas as idades inspirado no clássico infantil de Maurice Sendak.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

Este livro explora uma faceta pouco conhecida das relações pessoais (além das políticas, óbvias) que Salazar mantinha com as famílias mais ricas e poderosas de Portugal de então (que são, na maior parte dos casos, as mesmas de hoje): os Mello, os Espírito Santo, os Champaullimaud, entre outros. Fruto de um grande trabalho de investigação, que envolveu também depoimentos de descendentes e amigos desses nomes da grande indústria e da grande finança, este livro revela factos surpreendentes e documentação inédita.

 

Nas livrarias a 27 de Novembro.

 

Lançamento a 25 de Novembro, na Fnac Vasco da Gama,

com apresentação de António Costa Pinto e Rui Ramos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Hoje, na revista Sábado, um trabalho de Pedro Jorge Castro revela documentos inéditos de Salazar. O jornalista e redactor principal da Sábado é também autor de Salazar e Os Milionários, que chegará às livrarias na sexta-feira dia 27 de Novembro, com a chancela da Quetzal.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Mundo Branco do Rapaz-Coelho já está nas livrarias e será apresentado no próximo dia 23 por Helena Vasconcelos, às 18h30, na Fnac Colombo.


Autoria e outros dados (tags, etc)

O começo

13.11.09

 

 

De onde vens?, perguntaram à rapariga que chegara descalça sobre a neve.

 

 

Assim começa o novo romance de Possidónio Cachapa, O Mundo Branco do Rapaz-Coelho, que livrarias já na próxima segunda-feira. Quem quiser, além da primeira frase, ler os três primeiros capítulos, pode seguir o linque e descarregá-los no site do Diário Digital.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

O filme de Angelo Gonzalez para o novo livro de Possidónio Cachapa. Mais uma vez, agora que falta pouco para O Mundo Branco do Rapaz-Coelho chegar às livrarias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lugar Afortunado

12.11.09

«E todos se debruçaram sobre a mão bordada, os olhos subitamente húmidos e os lábios trementes. E o choque e a certeza de estar perante alguém que vinha do Lugar Afortunado provocou na multidão um efeito imprevisível de histeria. Diz-nos, onde está, pediram. Pareces uma pessoa de bom coração, tens de te apiedar de nós, os que temos vivido em desgraça, Toma, dou-te isto e tudo o mais que tiver se me contares como é que se vai para lá, A mim, diz-me a mim, aqui, junto ao ouvido, se não queres que mais ninguém saiba…»

 

Mais um excerto de O Mundo Branco do Rapaz-Coelho, de Possidónio Cachapa, que chega às livrarias no próximo dia 20.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

«Está quase na hora de a Bruna levantar e ir para o banho. Velho safado. Dorme com uma, acorda com outra. Júnior toma outro copo de café e volta para o sofá. Mantém os ouvidos alertas, mas o silêncio, ou algo muito próximo disso, desarma sua consciência. Júnior dorme. 


Acorda com o irritante som do despertador no quarto de Bruna. No mesmo momento a porta do armário do pai começa a ranger. Constrangido, Júnior cobre a cabeça com a cabeça ensebada. Ainda assim percebe quando a porta do quarto de Bruna se abre e quando a do banheiro se fecha, segundos depois. 0132008601. Atuador de marcha. Imagina que essa deve ser a parte de maior expectativa. O momento da espera. Quando Bruna retorna ao quarto envolvida na toalha de banho e começa a secar o seu pálido corpo. Ouve a descarga. Ouve o chuveiro sendo ligado. Sente algo em suas costas e salta temendo a barata. Não consegue enxergar. Pisa num caco do copo e cai sentado no sofá. É apenas uma lasca de vidro, mas dói. Não era barata, era só uma sensação. Consegue tirar a lasca de vidro. Bruna sai do banho, avista a silhueta de Júnior.


- Bom dia.

- Bom dia, Bruna.

- Você me assustou.

- Desculpe.

- Eu me tinha esquecido de você, quer dizer, que você está morando aqui.

- Por que não se troca no banheiro? É perigoso pegar uma corrente de ar...

- Porque não tenho onde deixar a roupa que vou vestir. Eu pedi pro seu pai comprar um daqueles ganchos que você pendura atrás da porta, mas ele nunca se lembra de comprar. Como chama aquilo?

- Acho que se chama gancho mesmo. Pode deixar, eu vou providenciar isso para você.

- Não. Deve ter um nome. Tudo tem um nome. Tudo o que existe.

- É verdade. Até o que não existe tem nome.

- Até o que não existe?

- É.

- Dá um exemplo.

- Dragão.

- Mas dizem que um dia existiu.

- Não, os dragões nunca existiram.

- Não gostei desse exemplo, dê outro.

- A Medusa...

- Não, um exemplo de algo que não seja mitológico.

- Deixa eu pensar...


Júnior não consegue trazer nada à mente.


- É melhor eu pôr a roupa antes que pegue essa tal corrente de ar.


Bruna fecha a porta. Sênior deve ter ficado ansioso com a demora. Deve ter ouvido os outros conversando. Esse pensamento traz um quase-sorriso ao rosto de Júnior. Agora ela deve ter largado a toalha. Júnior vai para a área de serviço. Numa das mãos o cigarro, na outra segura a pá do lixo, por precaução. Ela vai reclamar do cheiro do cigarro, mas Júnior precisava disso.

Ainda procura lembrar-se de algo que tenha nome e não exista.»

 

Excerto de A arte de produzir efeito sem causa, de Lourenço Mutarelli, um dos distinguidos com o Prémio PT Literatura, anunciado ontem à noite, em S. Paulo. Será publicado em Portugal em Fevereiro de 2010.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lourenço Mutarelli, a A arte de produzir efeito sem causa, a publicar pela Quetzal em 2010.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

«Lajos é um vencido pela vida, que não tem controlo sobre as suas personagens; o Luís tem total controlo sobre os seus personagens; Lajos vai-se apagando com a vida, o Luís vai-se iluminando»

 

João Villalobos na apresentação de Territórios de Caça, citado pelo Diário de Notícias.

 

«Uma obra algures entre o hambúrguer e a nouvelle cuisine: "Alimenta, é sólido do princípio ao fim e desperta o apetite". Mas também houve "Nocturno", de Aleksander Porfirivitch Borodin, e uma prenda de aniversário atrasada…»

 

E o relato de Pedro Justino Alves, no Diário Digital.

 

Para que se saiba como foi o lançamento do novo livro de Luís Naves. Ontem, na Bertrand do Chiado, com música, antes de tudo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


«À semelhança de Dorothy, que o precedeu e que encontrou em Oz alguns dos personagens que tinha deixadon no Kansas, Max foge para um mundo encantado que também se parece muito com a sua casa. As criaturas felpudas e falantes que dão nome ao filme [O Sítio das Coisas Selvagens] são terrivelmente mal humoradas, briguentas e têm um comportamento passivo-agressivo. Ganem, fazem beicinho, manipulam, quebram coisas e magoam-se umas às outras sem grande razão.»

 

 

 

Ontem, no New York Times foi publicada uma crítica ao filme Where The Wild Things Are. O livro de Dave Eggers, escrito depois da colaboração com Spike Jonze no guião do filme, chega às livrarias no próximo dia 20.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



QUETZAL. Ave da América Central, que morre quando privada de liberdade; raiz da palavra Quetzalcoatl (serpente emplumada), divindade tolteca, cuja alma teria subido ao céu sob a forma de Estrela da Manhã.

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Sites e blogues de autores

  •  
  • Sobre livros

  •  
  • Editoras do Grupo BertrandCírculo

  •  
  • Comprar livros online

  •  
  • Festivais Literários

  •  
  • Sobre livros (imprensa portuguesa)

  •  
  • Sobre livros (internacional)

  •  
  •  

  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D