Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quetzal

Na companhia dos livros.

Stone Arabia, de Dana Spiotta

«A primeira coisa a dizer sobre “Stone Arabia” (Quetzal, 2015) é que é difícil escrever sobre o mesmo. Pelas melhores razões. Após a leitura da última página fica desde logo a vontade e a sensação de que será necessário relê-lo, reinterpretá-lo e descobrir algo que, nas entrelinhas, nos escapou.

Muito mais que a história ou as crónicas dos dois irmãos, Denise e Nik, existe uma reflexão sobre a meia-idade e a solidão, que nos acompanha durante percursos de vida em que vamos sofrendo perdas permanentes, mais ou menos expectáveis. A busca pela felicidade, cada vez mais marca do tempo presente, ou a aparência da mesma. O sucesso, a imagem de cada um e a associação desprendida que se faz das mesmas. A publicitação de tudo, como se cada um de nós se medisse pela aceitação de outrem e do momento partilhado publicamente. A felicidade não é possível sem o oposto. A criação, a genialidade, não vive abraçada à riqueza ou ao sucesso desmedido. Os exemplos são infinitos.»

 

9789897222221_Stone Arabia, As Crónicas Secretas

 

 

Recensão de Luís Bentes no Deus Me Livro.

O Puto, de Ricardo de Saavedra, vai ser adaptado para televisão

«O livro O Puto, sobre a vida de Manuel Gaspar, ex-comando português, operacional da rede bombista e mercenário em Angola depois de 1975, vai ser adaptado para uma série de televisão, disse esta segunda-feira à Lusa o autor Ricardo Saavedra.

O Puto - Autópsia dos ventos da liberdade vai ter um argumento cinematográfico apoiado pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), que seleccionou o trabalho apresentado pela produtora Ukbar Filmes, de Pandora Cunha Telles e Pablo Iraola, no processo de candidaturas para Escrita e Desenvolvimento 2015. Os produtores propõem-se a produzir uma série audiovisual de ficção, de seis episódios, em formato HD.

“Fiquei satisfeito. É interessante, porque os produtores viram o livro, pensaram que daria um filme ou uma série. Ficaram muito entusiasmados e convidaram-me para coordenar os argumentistas”, disse à Lusa Ricardo Saavedra.»

 

Ler a notícia completa aqui.

 

frenteK_o_Puto.jpg

 

Fernando Namora para Bruno Vieira Amaral, amanhã.

«A obra de Bruno Vieira Amaral singulariza-se pela estrutura romanesca, pela linguagem escorreita, pela efabulação e por um forte sentido real», assim consta do comunicado de divulgação do vencedor do Prémio Literário Fernando Namora. Anunciado em novembro de 2014, o prémio que distinguiu As Primeiras Coisas, o romance de estreia do escritor, será entregue amanhã, numa cerimónia que tem início às 18h00, no Casino Estoril. 

 

 

O mistério da vida

«Em Teu Ventre é o 15º livro de José Luís Peixoto, que se tem dividido entre o romance, a poesia, a crónica e o relato de viagens. Com este livro, quis abrir novas possibilidades de interpretação e romper com discursos simplificados. Entrar dentro do tabu.

JL: Um livro de fé ou curiosidade?
José Luís Peixoto: Das duas. Ambas desempenham um papel muito importante na escrita de um livro e, até, na vida. A haver uma posição neste livro é a de que devemos aceitar o transcendente como uma dimensão do real.

Acredita em milagres?
Não se trata de acreditar. O que digo é que devemos aceitar que há uma grande quantidade de coisas que são maiores do que nós e para as quais não conseguimos encontrar uma explicação. A vida é em si própria um mistério. Se olhássemos com olhos analíticos para pequenos acontecimentos do quotidiano chegaríamos à conclusão que são impressionantes, muitas vezes incríveis. Por facilidade poderíamos colocá-los na categoria de milagres. É um elemento que não devemos subtrair à vida, sob pena de estarmos a diminuí-la.»

 

Entrevista de José Luís Peixoto ao Jornal de Letras.

 

 

978989722257-3frentek_no_teu_Ventre2.jpg

 

Pág. 1/2