Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quetzal

Na companhia dos livros.

Paulo Ferreira: uma estreia e uma excelente notícia

O Verão ainda não está a meio e não se fala sequer da rentrée, mas a Quetzal gostaria de anunciar já uma das suas novidades para o nosso próximo mês de Outubro – trata-se do primeiro romance de Paulo Ferreira, Onde a Vida se Perde. É uma boa surpresa para nós — e acreditamos que ainda o será mais para os leitores, certamente. Para Outubro, esta é uma das novidades em que vamos insistir.

 

 

Paulo Ferreira, que é um dos nomes essenciais da Booktailors - Consultores Editoriais, nasceu em 1980, em Lisboa e é licenciado em Relações Internacionais (no ISCSP) e decidiu-se, depois, por uma pós-graduação em edição (Livros e Novos Suportes Digitais) na Universidade Católica. É um dos fundadores (em 2006) da Booktailors. Durante seis anos foi publicitário. Publicou um livro e muitos artigos e contos, além de ter organizado vários volumes, e coordenador editorial da revista C. É frequentemente convidado para colóquios e seminários dedicados à edição de livros. Docente na área do marketing do livro, é especialista convidado da Universidade de Aveiro, no mestrado em Edição daquela instituição. Além disso, colabora na LER e é director da revista B:Mag.

Katrina e Chiado

«Incêndio no Chiado aborda a ambiguidade das pessoas perante uma tragédia também tem outra explicação: às memórias antigas das chamas lisboetas juntou as imagens mais recentes do furacão Katrina.» François Vallejo conversou com Fernando Madaíl do DN Gente e explicou como é que a tragédia que queimou o coração de Lisboa em 1988 pode transformar-se em matéria ficcional.

Os últimos dias do Silêncio!

O Festival Silêncio! tem feito de Lisboa a capital da palavra dita mas está a acabar. E antes do fim, os autores da Quetzal participam em vários momentos da programação. Hoje, às 21h30, no Auditório do Instituto Franco-Português, José Luís Peixoto participa numa das Conversas do Silêncio com Kalaf e Saul Williams. O que esperar desta conversa? Quando um especialista em spoken word se encontra com um poeta-músico, um músico-poeta e um romancista apaixonado por música é inevitável que a conversa rode em torno… da música e da palavra. Tendo em conta os percursos dos artistas convidados, as misturas de influências, as fusões entre estilos musicais e os cruzamentos  da poesia com o romance também poderão fazer parte da ementa.

 

Mais tarde, à meia-noite, no Musicbox, Mónica Marques e Afonso Cruz fazem parte do Writting Mirror, o resultado de um desafio lançado a quatro escritores. As imagens e os textos, ambos escolhidos pelos autores, cruzam-se, dialogam, talvez o que é projectado possa mesmo servir de ilustração ao que é dito.

 

Amanhã, no Instituto Franco-Português, a última das Conversas do Silêncio senta no mesmo sofá - provavelmente vermelho - José Mário Silva e François Vallejo. O jornalista, autor de contos e poemas, jornalista e blogger, falará com o francês que escreveu sobre o Francês, personagem de romance que se viu em Lisboa, em 1988, para lá das chamas do incêndio no Chiado.

Este livro não é sobre bicicletas.

«Um dos méritos deste livro é dar uma perspectiva moderna e sem pretensões morais dos problemas que afectam o nosso dia-a-dia.»

 

Escreve hoje, no Diário Digital, Pedro Justino Alves, sobre o Diário da Bicicleta, de David Byrne. «Na realidade, este livro não é sobre bicicletas, mas uma espécie de ensaio sobre algumas das grandes cidades do Mundo, cidades que encantam e, ao mesmo tempo, desencantam os seus habitantes e turistas.»

Papagaio

Boas notícias para os apreciadores das linhas mais antigas do catálogo da Quetzal. Especialmente para os apreciadores do romance moderno, para os apreciadores de literatura francesa e para os apreciadores de textos ingleses: um título que ganhou, simultaneamente, um prémio que distingue ensaios e um prémio para obras de ficção.

 

No próximo mês, publicamos (novamente) um livro com esta vinheta:

 

Writting Mirror

Mónica Marques e Afonso Cruz aceitaram a proposta do Festival Silêncio!: escolher um par de texto e imagem e apresentá-lo em 15 minutos. Isto no MusicBox, no dia 24 de Junho, a partir das 0h15. A estes autores da Quetzal, juntam-se JacintoLucas Pires e Fernando Ribeiro.

 

Diz-se no programa: «É difícil prever o que farão os quatro, tão díspares. Sabes o que cada um entende por ilustração faz parte do jogo: quantos verão no espelho da escrita um negativo da imagem, que negativo, quantas sublevações literárias estão e curso quanta prole quantas rasteiras, quantas explosões? Dificilmente será uma caravana. E apostamos, sem estorvo, em quatro aparições. Ainda assim, não vamos tão longe que antecipemos  o número de cotovias que podem abrir o Atlântico ao antídoto de uma diáspora blasée, ou quantras transas conduzem as carnes divinas ao pecado.»

 

Quiosque

Hoje no Actual do Expresso, um trabalho de António Guerreiro sobre a reedição da obra de Vergílio Ferreira e os inéditos do autor. Ainda no Expresso, na Única, Marta Rebelo e as suas Curtas-Metragens, que também aparece na secção de livros da Notícias Sábado. Sete Pecados Capitais merece duas referências curtas: uma no i, outra no 24 horas. E James Wood lado a lado com Roberto Bolaño (A Mecânica da FicçãoO Terceiro Reich) nas páginas do Outlook, do Diário Económico.  

Pág. 1/4